Paróquia Nossa Senhora 

Imaculada Conceição

Av. Inácio da Cunha Leme, 104  -  Fone: 5660-6961

Pároco: Padre Hércules Alves de Souza

Missas

Missas: 3ª a 6ª - 19:00 Hs / Sábado - 17:00 Hs
Domingo - 7:30, 9:30 e 18:00 Hs

Programação

Não disponível

Benção dos três painéis do altar. 
Em 25 do novembro de 2001.

Prefácio
É com muita alegria que apresento à comunidade a explicação dos painéis do altar da nossa Igreja. E esta alegria advêm por dois motivos.

Em primeiro lugar, participei junto com toda a comunidade do período em que estes painéis foram feitos. A cada dia algo diferente era pintado, um detalhe era mudado e iam surgindo à nossa frente, paulatinamente, os três painéis. Foi como se tivesse sido um trabalho nosso. Nós efetivamente estávamos "pintando" junto com o Pe. Lázaro.

E deste trabalho coletivo vem o outro motivo. A todo momento eu ouvia perguntas dos significados possíveis do painel. Algumas me surpreenderam, pois pensei que todos soubessem a resposta. Mas sabendo da riqueza simbólica da pintura, ficava querendo que todos pudessem sentar-se em frente a ela e não admirá-lo somente por sua beleza que é inegável. Queria que todos pudessem refletir sobre a grandeza da nossa fé, pois, se um simples conjunto de painéis podem nos levar a significados como a "união entre o céu e a terra", ou que "Deus age continuamente na história e na vida de todos os seres"  muito temos que admirar ainda e muito temos que aprender. Espero que todos vocês compartilhem comigo desta alegria.

Quanto ao Pe. Lázaro, seu texto fala por si, claro, preciso, tão belo como sua pintura. Gostaria de agradecê-lo pela sua competência, paciência e esforço em ajudar-me, tornando possível um sonho. Não só o painel, mas toda a ação evangelizadora que veio e virá dele e da construção desta igreja: a de pedra e a espiritual.

Na paz de Cristo ressuscitado
Pe. Hércules Alves de Souza

Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo - 25/11/2001.

Arte Sacra

Descrição explicativa dos painéis do retábulo do altar da 
Igreja Nossa Senhora Imaculada Conceição, da Diocese de Santo Amaro

1 - Desenvolvimento

Existem muitas linguagens a nosso favor, mas há uma que é universal, unificada, pela qual tudo passa. Essa linguagem é a imagem. Palavra e origem latina, imagem - imago - significa visão, retrato, cópia, lembrança, sinal. É aquilo que colocado de lado parece com...

Quando ao contemplarmos um pôr do Sol no frescor das tardes de primavera somos convocados à contemplação de uma realidade outra, daquilo que passa pela imagem.

Quando, ao ouvirmos uma música, seus sons provocam em nós apelos fortes de transcendência, aqueles sons passam pela imagem.

O próprio Deus quis tornar-se visível em Jesus Cristo, a imagem. "Ele é a imagem visível do Deus invisível, o Primogênito de toda a criatura, porque n'Ele foram cridas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis." Cl 1, 15-16. Conforme escreveu Cláudio Pastro(1) (em sua obra Arte Sacra, o Espaço Sagrado hoje: "A imagem é o indicativo de uma presença." Então a imagem verdadeira, aquela que evoca o mistério é sempre de natureza simbólica. Ela nunca divide (diá - bolo), une  (sim - bolo). O catecismo da Igreja Católica (cf. n.o 1160) escreve: "A iconografia cristã transcreve para a imagem a mensagem evangélica que a escritura Sagrada transmite pela palavra. Imagem e palavra se esclarecem mutuamente". Ela, a iconografia cristã tem o seu axis na encarnação de Deus. "Ao chegar a plenitude dos tempos, Deus enviou seu filho nascido de mulher." (Gl 4,4). No mistério da encarnação o Filho de Deus se nos tornou visível. Essa manifestação fundamental de um Deus que se encarna e bem aqui no nosso meio, planta a sua tenda, configura-nos sentido e estímulo, inclusive no plano da criação artística. As Sagradas Escrituras tornam-se então "atlas iconográfico" (M. Chagall), "dicionário iconográfico" (P. Clandel), em cuja fonte toda arte cristã vai beber água pura.

São João Damasceno(2) (séc VIII) escreveu: Porque o invisível se fez visível, na Encarnação é que tu tens a possibilidade de realizar a imagem de quem se coloca ao alcance dos teus sentidos... podes gravar na madeira a apresentar à contemplação dos homens. Aquele que quis tornar-se visível."

(1) Artista Plástico e Escritor contemporâneo.

(2) Santo da Igreja Católica do séc. VIII.

2 - a) Arte Religiosa
        b) Arte Sacra

     a) Arte Religiosa

É aquela que nasce da interioridade mesma do artista, portanto sempre subjetiva, onde o que conta é mais o sujeito que o objeto, correndo o risco de cair num esteticismo, onde o mistério pode passar despercebido. Exemplo disso são as imagens de devoção que com absoluta falta de critério encontramos em muitas das nossas igrejas, às vezes destituídas de verdadeira expressão artística, outras vezes, grandes obras de arte mas não estão a serviço do culto cristão.

     b) Arte Sacra

É aquela que é posta a serviço do culto, portanto de natureza objetiva.

Então, o que conta é o sujeito. Ele é o referencial. O que deve ressaltar é o mistério. Ele próprio é o sujeito. "Procede do ser objetivo de Deus". Se é uma arte que vem da transcendência, para lá é que se destina. É a arte da liturgia. Tem valor sacramental e é de natureza simbólica.

3 - Explicação descritiva dos três painéis pintados a óleo e acrílico no presbitério da Igreja paroquial Nossa Senhora Imaculada Conceição, em Santo Amaro.

A) Painel Central

A1) No centro está o Cristo Pantocratos (Cristo Rei)

Pantocratos - Senhor do Universo, Senhor de todos nós, Senhor do tempo. "Por Ele todas as coisas foram feitas."
-  Está vestido de branco - cor Sacerdotal
- Traz uma estola  - símbolo do poder do Sacerdócio, ornada com as iniciais de Jesus Cristo em grego.
- É o Cristo bendizente - que abençoa e traz na mão esquerda o "Livro da Vida" onde duas letras do Alfabeto Grego - (A) ALFA e (W) ÔMEGA - indicam que Ele é o Princípio e o Fim de tudo.

Tem ao redor da cabeça a auréola em forma de círculo (símbolo da divindade) marcada pela cruz grega de hastes iguais. Ela diz que pela encarnação de Deus tudo foi cristificado.

A2) Ao seu redor estão quatro figuras aladas que simbolizam os quatro Evangelistas.

- Um ser semelhante a um homem (Mateus) - Mt
- Um ser semelhante a um leão (Marcos) - Mc
- Um ser semelhante a um touro (Lucas) - Lc
- Um ser semelhante a uma águia (João) -  Jo
  (Cf Ap 4,6-8)

O santo Padre da Igreja São Gerônimo(3) viu aí, com muita clareza, o indicativo dos quatro Evangelhos.
- Primeiro Evangelho: Mateus (Mt)
  Símbolo: Um homem alado (com asas)

Mateus dá início ao seu Evangelho com a genealogia de Jesus, isto é, com o nascimento humano de Cristo (cf Mt 1,1-17).
- Segundo Evangelho: Marcos (Mc)
  Símbolo: Um leão alado (com asas)
Marcos dá início ao seu evangelho com a pregação de João Batista no deserto, onde os leões habitavam. (cf Mc 1,1-8).
- Terceiro Evangelho: Lucas (Lc)
  Símbolo: Um touro alado (com asas)
Lucas dá início ao seu evangelho com o anúncio do nascimento de João Batista que se deu ao templo, onde os touros eram oferecidos em sacrifício ao Senhor. (cf Lc 1,8-23).
- Quarto Evangelho: João (Jo)
  Símbolo: Uma águia - que voa alto
Porque nele o Espírito Santo fala de forma mais vigorosa, porque ele paira nas regiões mais sublimes e elevadas da consciência assim como a águia se ergue rumo ao sol. (cf Jo 1,1-18).

A3) A presença de asas evoca a hierarquia dos anjos, como por exemplo: os querubins portam quatro asas cobertas de olho; os serafins seis e os arcanjos duas.

A4) As chagas na mão e no pé do Cristo significam que Ele passou pela morte e é o ressuscitado, vivo e vencedor.

A5) Em lugar de destaque encontra-se o cordeiro ladeado por um quadrado que significa "Materialização do espaço", os quatro pontos cardeais, da terra. Proclama pelos quatro cantos que nós fomos lavados pelo sangue do Cordeiro que é o próprio Cristo imolado que com seu sangue redime a humanidade e a conduz para Deus. A Ele toda a glória. (cf Ap 5,12).

A6) À direita de Cristo encontram-se sete lâmpadas acesas. São os sete Espíritos de Deus. (cf Ap 4,5) Deus age continuamente na história intervindo em favor do homem (relâmpagos, vozes, trovões, (cf Ex 19,16), dando vida a todos os seres (sete Espíritos).

A7) A figura geométrica de forma circular que ganha dimensões proporcionais do painel central, evoca o próprio céu. Evoca o infinito.

A8) As quatro letras gregas que se encontram aos pés do Cristo são indicativos de seu próprio nome em grego.

A9) As figuras com formato de folhas presentes em todo o redor da pessoa do Cristo e dos quatro seres alados, simbolizam a árvore da vida, que é o próprio Cristo (cf Jo 15,1-2).

(3) São Gerônimo, Santo da era Patrística (Padres da Igreja) traduziu a bíblia do Grego para o Latim.

B) Painel Lateral à direita do Cristo

B1) Um anjo incensa o Cristo e o altar. "O altar é o Cristo". Incenso significa oferta Deus, símbolo da Adoração e da reverência ao Divino.

B2) As vestes brancas dos anjos símbolo de comunhão com Deus, de Pureza, de Júbilo e da Glória de Deus.

B3) As duas cenas de tamanho menor que estão uma acima e a outra abaixo do anjo evocam aspectos da vida terrena de Nossa Senhora.
- Anunciação, acima (cf Lc 1,26-38)
- Visitação, abaixo (cf Lc 1,39-45)

B4) A figura geométrica de formato retangular presente de cima até em baixo evoca a união entre o céu e a terra.

C) Painel Lateral à esquerda do Cristo

C1) Um anjo incensa o Cristo e o altar. "O altar é o Cristo". Incenso significa oferta Deus, símbolo da Adoração e da reverência ao Divino.

C2) As vestes brancas dos anjos símbolo de comunhão com Deus, de Pureza, de Júbilo e da Glória de Deus.

C3) As duas cenas de tamanho menor que estão uma acima e a outra abaixo do anjo evocam aspectos da vida terrena de Nossa Senhora.
- Natividade de Jesus, acima (cf Lc 2,1-7)
- Pentecoastes, abaixo (cf At 2,1-13)

C4) A figura geométrica de formato retangular presente de cima até em baixo evoca a união entre o céu e a terra.

D) Detalhes gerais

D1) Cor de pele morena das imagens retrata os povos aborígenes das Américas.

D2) Os colares coloridos dos anjos e do homem alado retratam as tribos indígenas do Brasil.

D3) A cor que envolve toda a Igreja é uma extensão do painel.

4) Conclusão

Apresentamos à comunidade este nosso trabalho como resultado de um esforço sincero de criar uma pintura plasmada, que foi nos princípios da Arte Sacra, que nasceu da fé da Igreja que com atenção e desvelo ela muito cuidou certa de que, como São João Damasceno escreveu: "Anteriormente Deus que não tem nem corpo, nem figura não podia absolutamente ser apresentado por uma imagem. Mas agora que ele se fez carne e viveu com os homens, eu posso fazer uma imagem daquilo que eu vi de Deus".

Pe. Lázaro Aparecido Diogo

5) Bibliografia

- Arte Sacra, o Espaço Sagrado hoje
C. Pastro
Edições Loyola - 1993

- Guia do Espaço Sagrado
C. Pastro
Edições Loyola - 1999

- Carta do Papa aos artistas
Papa João Paulo II
Edições Loyola - 1999

"No templo de Deus Vivo ardam as chamas da verdadeira arte 
entoando louvores eternos".

Links
Página na cidade de Assis na Itália www.sanfrancescoassisi.org
   

Notícias

Localização

Av. Inácio da Cunha Leme, 104   -  Fone: 5660-6961