03/03/2002

Dengue, a doença de 2001 e 2002.

Voltar para Saúde

 

 

A dengue é uma virose (doença causada por vírus). Nos países de clima tropical, as condições do meio-ambiente favorecem o desenvolvimento e a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, seu principal transmissor.

Os sintomas da doença são febre intensa, dor de cabeça, dores fortes nos olhos, em toda a musculatura, nos ossos e nas juntas. A dengue hemorrágica apresenta sangramento pelas gengivas, pela pele e pelo intestino, podendo levar à morte.

A transmissão da doença ocorre a partir da picada da fêmea do mosquito.

Não há transmissão por contato direto de um doente ou de suas secreções para uma pessoa sadia, nem através da água ou alimento.

Em 45 dias de vida, um único mosquito pode contaminar até 300 pessoas. De 8 a 12 dias após ter sugado sangue de pessoa contaminada, o mosquito está apto a transmitir a doença.

O transmissor é o mosquito do gênero aedes, popularmente conhecido como pernilongo da dengue, chamados tecnicamente de vetor. Este inseto tem algumas características que podem facilitar seu reconhecimento:
- É escuro e rajado de branco;
- É menor que um pernilongo comum;
- Pica durante o dia;
- Desenvolve-se em água parada e limpa.

  • Foto do mosquito Aedes Aegypti

O mosquito se reproduz nos "criadouros", que são locais onde há água parada e limpa, que fica em qualquer tipo de recipiente como:
- Garrafas;
- Pneus;
- Pratos de vasos de plantas e xaxim;
- Bacias;
- Copinhos descartáveis;
- E lugares que podem reter a água da chuva.
      Também não se esqueça de tapar:
- Caixas d'água;
- Cisternas;
- Tambores;
- Poços;
- Outros depósitos de água.

Há várias formas de prevenção.

  1. Acabar com todos os criadouros, (descritos no item Reprodução).

  2. Utilizar a borra de café, conforme descrição no item "Borra de Café".

  3. Misture uma colher de chá de água sanitária com um litro de água e borrife nas plantas de sua casa. A mistura não faz mal às plantas e mata o mosquito da dengue. (Como sempre, mantenha a água sanitária longe de crianças).

  4. Lave bem os pratos de plantas e xaxins, passando um pano ou bucha para eliminar completamente ovos de mosquitos. Uma boa solução é colocar areia nos pratinhos.

  5. Limpe calhas e lajes das casas.

  6. Fure latas e pneus.

  7. Lave bebedouros de aves e animais com escova ou bucha e troque a água pelo menos uma vez por semana.

  8. Guarde as garrafas vazias de cabeça para baixo, em local abrigado.

  9. Jogue no lixo copos descartáveis, tampinhas de garrafas e tudo o que acumula água. O lixo deve ficar o tempo todo fechado.

Em primeiro lugar, procurar atendimento médico.

A pessoa com dengue deve ficar em repouso, beber muito líquido e só usar medicamento para aliviar as dores e a febre com indicação do médico.

A pessoa com dengue não pode tomar remédios à base de ácido acetil salicílico, como por exemplo, aspirina, AAS, Melhoral, Doril, Sonrisal, Alka-Seltzer, Engov, Cibalena, Doloxene e Buferin. Eles podem facilitar o sangramento.

Como a doença causa muita dor no corpo, em geral, as pessoas procuram analgésicos. É importante para o doente evitar antiinflamatórios, pois facilitam o sangramento.

Para quem já teve dengue uma vez, o cuidado deve ser redobrado. Em uma segunda contaminação, as chances são maiores de a doença evoluir para a forma hemorrágica, que pode ser mortal.

O mosquito  Aedes Aegypti pode ser combatido colocando-se borra de café nos pratinhos de coleta de água dos vasos, nos pratos dos xaxins, dentro das folhas de bromélias. Pode também ser colocado sobre o solo do jardim e quintal.

A borra não precisa ser diluída em água para ser usada, podendo ser colocada diretamente nos recipientes.

A borra de café além de ter custo zero, não é toxica nem prejudica as plantas podendo servir até como adubo ecologicamente correto.

Quem descobriu este efeito anti-Aedes da borra de café foi uma cientista paulista, a bióloga Alessandra Laranja, do Instituto de Biociências da Unesp, Universidade Estadual de São Paulo, no campus de São José do Rio Preto, durante a pesquisa de sua tese de mestrado, orientada pelo prof. Hermione Bicudo.

Maiores informações podem ser obtidas no site da Unesp.

 

FONTE: Pesquisa em diversos locais.

Voltar para Saúde

VM FISIO
Clínica de  Fisoterapia e Acupuntura