Estação Espacial Internacional - ( ISS - International Space Station )

Voltar

Você pode ver ao Vivo as imagens da Câmera instalada na Estação Espacial - Clique aqui e veja agora.

Veja também as notícias da Nasa e acompanhe os acontecimentos - Clique aqui e veja agora.

 

Caso não veja as imagens, tente utilizar outro Navegador (Microsoft Internet Explorer, Google Chrome, Mozilla Firefox, Tor Browser, Opera.

Você vai necessitar de uma conexão com a Internet de boa qualidade.

A Estação Espacial Internacional, ISS, dá diversas voltas em torno da terra no período de um dia passando por períodos de dia e de noite.

Nos momentos em que passa por uma região que está no período da noite, a câmera é retirada do ar, retornando quando estiver sobre um período diurno.

A terra é vista do espaço 24 horas por dia diretamente da Estação Espacial ISS, a não ser que haja algum fato diferente, quando então será desligada. 

A Estação Espacial Internacional, ISS, é um laboratório espacial moderno que começou a ser construído em 1998 e ficando pronta em 8 de junho de 2011.

Sua órbita baixa está a cerca de 350km do nível do mar sendo possível avistá-la da Terra a olho nu.

A estação viaja a uma velocidade de 27.700 km/h e completa, em média, 16 órbitas por dia.

A ISS apresenta a presença humana no espaço agregando diversos programas espaciais das principais agências do mundo.

Seu principal objetivo é criar um ambiente para produzir experimentos que possam ser úteis para a evolução humana. As principais áreas de pesquisa são: biologia, física e astronomia, "e imagino eu Ufológica".

Saiba mais sobre o espaço:

A denominação “espaço sideral” é: "Espaço sideral, ou também Espaço exterior ou mais popularmente, simplesmente Espaço, é todo o espaço do universo que não é ocupado por corpos celestes e suas eventuais atmosferas. É a porção vazia "ou quase vazia" do universo, região em que predomina o vácuo. O termo também pode ser utilizado para se referir a todo espaço que transcende atmosfera terrestre".

O espaço em si não é considerado vazio, pois contém quantidades infinitas de partículas subatômicas em movimento. Entre elas, plasma de hidrogênio e hélio, campos magnéticos e radiação. A tendência é que esse vácuo seja mais rarefeito ainda à medida que fica mais longe de um corpo celeste.

Preenchido por ondas gravitacionais e radiações de toda espécie o espaço é objeto de muito estudo e mistério, pois "não tem começo nem fim". Poeira cósmica e gases primordiais vindos de estrelas são algumas das micropartículas que também estão presentes no espaço.

O homem começou a explorar o espaço no século 20. Inicialmente por meio de balões e em seguida com o desenvolvimento de foguetes e lançadores. O primeiro homem a viajar pelo espaço foi o soviético Yuri Gagarin, em 1961. E o primeiro homem a chegar à lua foi o americano Neil Armstrong, comandante da missão Apollo 11, em 1969.

O espaço sideral frequentemente é subdividido em três sub espaços:

  1. Espaço interplanetário - designação usada sobretudo para se referir aos espaços existentes entre os planetas do nosso próprio sistema solar. Por extensão, inclui as distâncias entre os eventuais planetas de qualquer sistema estelar, inclusive o nosso.

  2. Espaço interestelar - designação usada para se referir às porções de "quase" vácuo existentes entre as estrelas. Refere-se sobretudo aos espaços entre as estrelas da nossa própria galáxia, a Via Láctea.

  3. Espaço intergalático - designação usada para se referir às grandes vastidões existentes entre as galáxias. Da Via Láctea à sua galáxia mais próxima, a Grande Nuvem de Magalhães, esta vastidão é da ordem de 152 mil anos-luz de distância. E, da Via Láctea até Andrômeda (que é sua galáxia irmã e a mais próxima com forma e tamanho similares), são cerca de 2 milhões e 200 mil anos-luz de distância. A partir daí, as distâncias são imensamente maiores.

João Batista - 03/10/2015