Restauração do índice

Ufologia

Construção de Naves Espaciais

Resumo de construção de um Disco Voador

Tema abordado no trabalho de Valter Morandi na Revista UFO   72-julho-2000   e   73-agosto-2000

 

Gerador Eletrostático, para o deslocamento da nave, mantém a carga elétrica na superfície da nave.

O movimento do campo elétrico gera campos eletromagnéticos com frequência e intensidade variadas.

Com o potencial elevado é possível que ocorram faiscamentos, fagulhamentos e até pequenos raios.

Desenho do Gerador de elétrons.

O campo elétrico gerado no aparelho, com cargas negativas, interage com outro campo elétrico externo e positivo projetado por ele. Isto causa uma força de atração do primeiro (cargas negativas) em direção ao segundo (cargas positivas) causando o deslocamento. (É como se estivesse montado num cavalo e se colocasse uma haste com uma espiga de milho na frente do cavalo, ele iria andando na direção da espiga para pegá-la).

O campo externo positivo é produzido por um feixe de Raios-canal.

A interação entre os dois campos é feita pela força eletrostática, que gera altos valores de aceleração, pois é constante e acumulativa.

Desenho da nave com as ação das cargas positivas e negativas.

Gerador Atômica, possui um elemento radioativo, emissor espontâneo de cargas negativas, estimulado por exitadores.

Desenho do Gerador Atômico.

 

Em elaboração.

 

João Batista